Uma nova pandemia global poderia matar 80 milhões de pessoas

1
373
Pandemia Global

Estamos prontos para a próxima pandemia global? Talvez não.

Em 2018, a Organização Mundial da Saúde e o Banco Mundial co-convocaram o Global Preparedness Monitoring Board (GPMB), um grupo independente de especialistas focado em emergências globais de saúde.

Na quarta-feira, o GPMB publicou um relatório avaliando a preparação atual do mundo para uma grande crise de saúde e as coisas não estão parecendo boas.

Depois de levar em conta tudo, desde as tendências políticas emergentes até a mudança climática, a equipe concluiu que “há uma ameaça muito real de uma pandemia de movimento rápido e altamente letal de um patógeno respiratório que mataria de 50 a 80 milhões de pessoas e destruiria cerca de 5% da economia mundial”.

“Uma pandemia global nessa escala seria catastrófica, criando destruição, instabilidade e insegurança generalizadas”.

O mundo pode não estar preparado para tal crise neste momento, mas os especialistas do GPMB acham que ainda tem tempo para seguir o caminho certo.

Chegaram mesmo a delinear sete ações específicas que os líderes mundiais poderiam empreender para aumentar a nossa preparação, incluindo a plena aplicação do Regulamento Sanitário Internacional, o aumento do investimento na investigação e desenvolvimento de vacinas e o estabelecimento de sistemas nacionais fortes de preparação.

“Por muito tempo, permitimos um ciclo de pânico e negligência quando se trata de pandemias: intensificamos os esforços quando há uma ameaça séria, depois os esquecemos rapidamente quando a ameaça diminui”, escreveram os autores do relatório. “Já passou da hora de agir”.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Artigo anterior“Vocês roubaram meus sonhos” disse Greta Thunberg na cúpula do clima da ONU
Próximo artigoBolsonaro faz discurso bizarro na ONU, com direito a mentiras e ataques à mídia internacional

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta